Perdão, minha filha

Não costumo escrever poesia ou poemas, este texto veio por inspiração anos atrás. Estava sentado na sala, quando uma imagem se desenhou em minha mente. Um homem, desalinhado, aspecto aflito, caminhava escorando-se no muro de uma rua escura, conversava consigo mesmo, falava baixo, queria chamar a atenção dela, buscava a atenção da moça que caminhava a frente, sem lhe dar a mínima atenção….  Quando a imagem se apagou, peguei a caneta e escrevi. Ofereço este poema a todos os paisRead More