Razão X Emoção

Clique no player para ouvir este conteúdo

Nossa inteligência emocional foi desenvolvida de forma natural ao longo de milhões de anos de evolução, operando como um sofisticado sistema interno de orientação e proteção. Assim, quando nos deparamos com um perigo iminente, imediatamente nosso sistema emocional induz o corpo a produzir adrenalina e outras substâncias que nos colocam em prontidão, para a fuga ou para o combate.
O homem primitivo, desprovido do raciocínio lógico e dedutivo, reagia sempre de forma emocional. Isso foi, por muito tempo, uma questão de sobrevivência, tendo em vista os perigos iminentes defrontados diante dos imprevistos da vida. No entanto, a partir da aquisição da razão, fomos internalizando o processo das reações emocionais e agindo de forma mais analítica.
Apesar de termos obtido ganhos enormes por conta do uso adequado da razão, perdemos muito quando abandonamos quase por completo o nosso sistema primitivo de orientação emocional. Agora, urge a necessidade de readaptar a nossa essência de tal forma que haja um equilíbrio entre razão e emoção, a fim de que nos tornemos capazes de aproveitar os benefícios de ambas.
A civilização atual se preocupa em demasia com o desenvolvimento intelectual em detrimento do cultivo da inteligência emocional. Isso tem gerado uma raça emocionalmente doente, ocasionando a crise existencial com que nos deparamos. A discórdia, a ganância, o egoísmo, a infelicidade e a guerra são resultantes de um processo de desvirtualização da emoção.
Precisamos recuperar a capacidade de sentir, antes de agir. O sentimento ponderado coloca direção e orientação em nossa vida. Cabe aqui apenas uma ressalva: agir somente pela emoção, antes de se ponderar racionalmente, também pode trazer muitos dissabores. Razão e emoção precisam caminhar juntas.
Diante do paradigma em que nos encontramos no momento, o pensamento lógico e dedutivo é essencial para que possamos obter êxito. Isso é inegável. No entanto, todo racionalismo precisa ser internalizado para que possa ser dirigido por uma emoção inteligentemente construída. Somente aquele que consegue trazer a emoção ao nível da razão obtém êxito no que faz.
O psicólogo americano Daniel Goleman, afirma que o desenvolvimento da inteligência emocional é responsável por cerca de cinquenta e oito por cento do nosso sucesso, tanto na área pessoal quanto na profissional. A aquisição de uma inteligência emocional saudável , segundo Goleman, requer autoconhecimento, controle emocional, automotivação e bom entrosamento interpessoal. Ora, o conhecimento e o reconhecimento de si mesmo leva automaticamente a um bom nível de autocontrole. E disso nasce um sentimento motivador que nos conduz a um entusiasmo vibrante. Daí para chegarmos a um nível saudável de socialização é apenas um passo.
Ao longo de nossa vida, fomos treinados para adquirir um alto nível de inteligência racional. Disso não restam dúvidas. Doravante, precisamos treinar a mente para obter a inteligência emocional de forma a equilibrar razão e emoção e assim obter um autocontrole interno que viabilize a realização de nossos sonhos, planos e metas.
No paradigma atual em que nos encontramos, razão e emoção precisam caminhar juntas. Como já temos uma razão bem delineada, basta trabalhar no sentido de reabilitar a inteligência emocional que trazemos adormecida dentro de nós. Isso se faz colocando sentimento em nossa vida.
Precisamos treinar melhor as emoções para relembrar o que esquecemos. Isso requer uma nova forma de viver a vida, colocando apreciação, alegria, contentamento e entusiasmo no que fazemos a cada momento.
Ter inteligência emocional não significa simplesmente ser capaz de perceber os sentimentos que acompanham os pensamentos. Primeiramente, precisamos nos tornar capazes de fazer uma seleção quanto ao que pensamos, internalizando o que seja bom enquanto permitimos que o fluxo de ideias não positivas sigam seu caminho. Isso não quer dizer que devemos nos esforçar para eliminar os maus pensamentos. Significa apenas que devemos dar ênfase ao que seja bom, belo e justo.
Tudo na vida é uma questão de escolha. Dê mais atenção ao que seja positivo e construtivo e isso toma forma e ganha terreno. Coloque energia nos bons sentimentos e você será capaz de burlar o sistema de crenças pernicioso, erigido sob o domínio da razão absoluta.
Sinta o bem-estar que flui e seja grato por tudo. Manifeste amor, alegria, boa vontade e contentamento por onde quer que vá e você será capaz de restabelecer o fluxo da inteligência emocional que te guiará para a vitória, em todas as instâncias da sua vida.

Ajude-nos a continuar disseminando gratuitamente ideias que edificam e inspiram. Faça a sua doação para o Projeto Academia do Aprendiz através do botão abaixo.
CLIQUE NA IMAGEM A SEGUIR, CADASTRE-SE E COMECE A CRIAR SEUS DECRETOS DE PODER GRATUITAMENTE.

 

 

 

LIVROS DO CRIADOR DA ACADEMIA DO APRENDIZ
Clique nas imagens para ler um trecho gratuitamente

Author: Francisco Ferreira, O Aprendiz

Francisco Ferreira, o Aprendiz, é terapeuta formado pelo Instituto Nefesh, Pós Graduado em Filosofia e Sociologia, com formação em PNL, Coaching, TFT, Cinesiologia Aplicada, EFT, Barômetro Emocional, dentre outros. Tem doze livros publicados, escreveu mais de quinhentos artigos de autoaperfeiçoamento e criou quinze métodos de desenvolvimento pessoal.

2 Replies to “Razão X Emoção

  1. Desde que conheci a lei da atração e comecei a ouvir áudios de reprogramações mentais, consegui mudar muitos condicionamentos negativos. A meditação também ajuda muito, porque passamos a observar mais nossas emoções e crenças com clareza.

  2. Não é fácil, mas precisamos cada vez mais de uma mente positiva e equilibrada, principalmente nos dias atuais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.