O Silêncio Como Fonte de Sabedoria e Poder

Clique no player para ouvir este conteúdo

Um alto nível de evolução e sabedoria pode ser medido por uma observância a esse conceito extremamente simples: o silêncio.

Eu já escrevi muitos artigos a respeito do fantástico poder que pode ser despertado a partir do hábito do silêncio. Em todos eles, indiquei a quietude como técnica de conexão com as instâncias superiores da existência visando despertar e/ou a ampliar a nossa força interior.

Hoje falarei sobre o silêncio como opção de respeito às diferenças de concepções, nos diversos níveis da escada evolutiva. Vamos lá!

A prática do silêncio é um dos pré-requisitos para ascender a níveis mais elevados, na maioria das religiões. No entanto, além da técnica da quietude em si, há a necessidade de cultivar uma serenidade interior ancorada no respeito absoluto e irrestrito, às diferentes correntes de pensamento, dogmas, ritos e crenças.

A obtenção da sabedoria exige, como pré-requisito essencial, a capacidade do não julgamento. O sábio de verdade guarda suas ponderações em silêncio. Não julga, não condena e não faz acepção de pessoas, pois sabe que, no fundo, somos todos da mesma estirpe.

A sapiência real requer respeito absoluto às diferenças. O sábio não tem preconceito a qualquer religião, pois já aprendeu que a fé é uma questão pessoal.

Qualquer julgamento ou tentativa de quantificação e medida, em termos de espiritualidade e sabedoria, produz uma queda drástica na escala evolutiva de quem assim procede. Por conta disso, esteja certo de que jamais você verá um sábio de verdade criticando ou zombando da crença de quem quer que seja.

Se alguém se diz ou aparenta ser sábio, mestre, erudito, conhecedor da verdade e, em seguida, critica um católico por adorar a imagem de um santo, por exemplo, tal pessoa é, na verdade, um usurpador, hipócrita ou estúpido. Da mesma forma, quem zomba de um evangélico ou de um budista, é absolutamente ignorante do real sentido da palavra sabedoria.

Todos os estágios da evolução são válidos e necessários. Portanto, sempre que alguém se julga superior em sua escolha espiritual, imediatamente retrocede a níveis inferiores, em termos de sabedoria.

É preciso compreender que, “mais sábio” e “menos sábio” são conceitos meramente humanos. E, já que todo saber terreno é loucura perante a Sabedoria Infinita do Criador de todas as coisas, sempre seremos incapazes de classificar adequadamente os níveis da verdadeira sapiência.

Não há saber maior ou menor, Aprendiz. O que existe são: saberes diferentes. Por isso, os olhos do sábio estão sempre abertos, os ouvidos, sempre atentos, mas a boca, na maior parte do tempo, estará fechada.

O silêncio vale ouro!

Por que será que a Inteligência Criadora do Universo criou-nos com dois olhos, dois ouvidos e apenas uma boca. Será que, além do valor sensorial efêmero atribuído a cada um desses sentidos, não há um contexto espiritual previamente estabelecido? Se você analisar isso com profundidade verá que sim, já que para saber mais e saber bem, é preciso observar e ouvir, muito mais de que falar.

Curiosamente, os quatro pilares da sabedoria milenar esotérica são: Saber, Querer, Ousar e Calar.  O último e o mais importante pilar do saber hermético, o calar, representa o silêncio espiritual que se traduz em um respeito absoluto ao outro, com sua individualidade única e distinta, tanto em termos físicos quanto espirituais.

Um alto nível de evolução espiritual pode ser medido por uma observância a esse conceito extremamente simples: o silêncio. O “calar”, do ponto de vista da sabedoria hermética, significa reconhecer que há saberes diferentes porque existem níveis distintos de aprendizado e conhecimento.

Quando o Aprendiz atinge certo grau de conhecimento, nitidamente percebe a vida como um círculo mágico onde todos evoluem. Espantado, de repente acorda de um estado de letargia que o mantinha preso ao preconceito e, maravilhado, percebe que não há ninguém à sua frente ou atrás.

A Roda da Vida é cíclica. Cada fim representa um novo começo. Cada queda a uma escala inferior incita uma nova ascenção. E tudo gira em torno de um único ponto no centro: Deus, o Criador, o Espírito Universal.

Cada ser humano que cruza o nosso caminho está em um ponto evolutivo distinto na Roda Cósmica, indefinido e indecifrável. Não temos condição de saber quem está atrás ou à frente de nós por conta da nossa capacidade de compreensão falha e limitada. Portanto, a única opção plausível depois de saber, querer e ousar é: calar.

Ajude-nos a continuar disseminando gratuitamente ideias que edificam e inspiram. Faça a sua doação para o Projeto Academia do Aprendiz através do botão abaixo.

CLIQUE NAS IMAGENS E CONHEÇA OS CURSOS DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL DO CRIADOR DA ACADEMIA DO APRENDIZ

 

LIVROS DO CRIADOR DA ACADEMIA DO APRENDIZ
Clique nas imagens para ler um trecho gratuitamente

Author: Francisco Ferreira, O Aprendiz

Francisco Ferreira, o Aprendiz, é terapeuta formado pelo Instituto Nefesh, Pós Graduado em Filosofia e Sociologia, com formação em PNL, Coaching, TFT, Cinesiologia Aplicada, EFT, Barômetro Emocional, dentre outros. Tem doze livros publicados, escreveu mais de quinhentos artigos de autoaperfeiçoamento e criou quinze métodos de desenvolvimento pessoal.

One Reply to “O Silêncio Como Fonte de Sabedoria e Poder”

  1. De fato, o silêncio é algo poderoso, sempre acesso muita sabedora quando estou serena e conectada a minha essência. Com a pratica da contemplação e meditação notei que tenho constantes saltos da consciência!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.