O Poder Autodestrutivo da Culpa

Clique no player para ouvir este conteúdo

Como todo e qualquer sentimento negativo que nos atinge, a culpa é apenas uma energia cristalizada no inconsciente. Resulta de nossa teimosia em reviver um fato tenebroso do passado.

culpaO nosso cérebro emocional registra todas as emoções fortes que sentimos, utilizando-se de todas as nossas experiências como um norte para demarcar a essência daquilo que somos. Sempre que esses sentimentos são positivos, saímos ganhando, já que os registros subsequentes trarão enormes benefícios. O problema é quando eles são de cunho negativo.  Aí a coisa pega!

O nosso subconsciente é dedutivo, imparcial e não seletivo. Registra tanto os nossos bons sentimentos quantos os maus como “IMPORTANTE”.  E, sempre que uma emoção negativa é catalogada nesse nível profundo da mente, a tendência é que a mesma seja relembrada sempre que nos deparamos com os atores envolvidos no processo. Resultado: culpa, remorso e arrependimento. Sentimentos negativos que, por vezes, arrastamos ao longo de toda a nossa vida, reproduzindo um mal que já devia ter ido embora há muito tempo.

Como todo e qualquer sentimento negativo que nos atinge, a culpa é apenas uma energia cristalizada no inconsciente. Resulta de nossa teimosia em reviver um fato tenebroso do passado.

As nossas emoções negativas ligadas à culpa se tornam tão fortes ao longo do tempo que é possível até sentir no corpo suas reações devastadoras. A química que elas produzem, acabem criando impressões que se tornam evidentes aos cinco sentidos físicos. A fisionomia entristece, o ritmo vital cai, a imunidade baixa e dezenas de reações químicas deflagram um processo inicial de autodestruição. Isso ocorre num efeito cascata toda vez que a gente se lembra de tal emoção.

A energia que um sentimento de culpa muito forte produz pode chegar, inclusive, ao ponto da condensação, reverberando de forma irreversível no aspecto físico do nosso ser, trazendo doenças as mais diversas.

Isso tudo que estou dizendo agora pode parecer algo exageradamente trágico. Mas saiba que, infelizmente, é tão real quanto um objeto físico que você vê agora à sua frente. Ops! Não é para se assustar. Isso serve apenas para alertá-lo da necessidade de quebrar o ciclo da corrente autodestrutiva provocada pela culpa.

Note que o sentimento de culpa, quando persistente, vai para muito além do campo da emoção. Chega ao seu campo energético vital provocando desordens de natureza mental, emocional e física. Em outras palavras: atinge todas as áreas da sua vida gerando perda de vitalidade, doença, fracasso e limitações, inclusive de ordem financeira.

Sempre que você realimenta um sentimento de remorso, culpa ou mesmo um arrependimento carregado de emoção, roda no nível inconsciente um filme que recarrega toda a energia nefasta relacionada ao fato original que criou o mal inicial. Dessa forma, um erro que aconteceu há dezenas de anos continua causando um dano terrível ainda hoje, nos níveis mais sutis da sua essência vital.

A pergunta é: faz sentido permanecer nesse ciclo interminável de autopunição? Ajudaria a reverter a situação negativa que já não existe, fora do escopo da sua emoção? Claro que não!

É absolutamente insensato e insano pagar pelo mesmo erro por centenas de vezes. A cada peso, sua medida. Obviamente, não há como escapar da Lei de Ação e Reação. Mas fazer disso um ciclo interminável de sofrimento é um erro fatal.

Se você almeja merecer as dádivas e bênçãos oriundas do Centro Criador, precisa trabalhar sua essência no sentido de perdoar e, ao mesmo tempo, fazer-se digno de ser perdoado por suas falhas.

É essencial que você execute a prática do autoperdão, caríssimo Aprendiz.

Deixe de ser tão severo consigo mesmo. Arrepender-se á algo Divino. Corrigir o erro é a sua obrigação. Mas, uma vez que você tenha executado essa limpeza interior, esqueça.

Seus erros de outrora precisam ser considerados como pontos de apoio para o seu crescimento e dos outros. Note que a vida é uma aprendizagem que se desenvolve ao longo do percurso. Ninguém nasce sabendo. Portanto, todos são passíveis de cometer equívocos. O que não se pode fazer é persistir cometendo o mesmo erro de maneira repetitiva.

O Universo é absolutamente extravagante e dadivo. Mas também é muito caprichoso. Não tente enganar a Inteligência Infinita com um sentimento de arrependimento forjado. Isso não cola. Mas, se houver verdade, bastará pedir uma vez, e pronto! Funciona mais ou menos assim: Errou? Pondere sobre isso. Arrependa-se. Aprenda com isso. E nunca mais cometa isso.

A culpa é apenas um sintoma de que não houve um arrependimento verdadeiro capaz de gerar o perdão e o autoperdão. Quando você executar o processo completo, a janela da alma responsável pelo sentimento de arrependimento se fechará e você estará livre para novas descobertas, cheias de novos erros e melhores acertos.

Perdoar os outros é essencial. Perdoar-se a si mesmo, é vital. Pense nisso, Aprendiz!

Ajude-nos a continuar disseminando gratuitamente ideias que edificam e inspiram. Faça a sua doação para o Projeto Academia do Aprendiz através do botão abaixo.

ESCREVA SEUS PRÓPRIOS DECRETOS DE PODER E NÓS OS TRANSFORMAREMOS EM ÁUDIOS PODEROSOS DE TRANSFORMAÇÃO PESSOAL. CLIQUE NA IMAGEM A SEGUIR E SAIBA TUDO.

 

 

 

LIVROS DO CRIADOR DA ACADEMIA DO APRENDIZ
Clique nas imagens para ler um trecho gratuitamente

Author: Francisco Ferreira, O Aprendiz

Francisco Ferreira, o Aprendiz, é terapeuta formado pelo Instituto Nefesh, Pós Graduado em Filosofia e Sociologia, com formação em PNL, Coaching, TFT, Cinesiologia Aplicada, EFT, Barômetro Emocional, dentre outros. Tem doze livros publicados, escreveu mais de quinhentos artigos de autoaperfeiçoamento e criou quinze métodos de desenvolvimento pessoal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.