A Centelha Divina Está em Tudo e em Todos

Clique no player para ouvir este conteúdo

Uma centelha divina brilha cintilante em volta de todo homem e de toda mulher trazidos à luz pela vontade do Espírito Cósmico Criador.

 

Apesar de não ser católico, tampouco evangélico, muito menos espírita, aprendi a cultivar um respeito profundo por todas as concepções místicas, filosóficas e religiosas. Isso faz parte dos quatro pilares da sabedoria que compreendi após muitos cursos que fiz durante minha peregrinação pela senda do autoconhecimento. Para quem não sabe, as quatro colunas do conhecimento hermético são: Saber – Ousar – Querer – Calar.

Não vou falar aqui sobre o significado profundo dos quatro pilares da sabedoria, pois para isso, precisaria analisá-los nos contexto do Hermetismo, da Metafísica, da Espiritualidade e do Holismo. E, isso é algo tão complexo que precisaria de um livro dos grandes para fazê-lo.

Se você realmente aspira por um conhecimento autêntico acerca dos quatro pilares da sabedoria, desprovido de todo misticismo exacerbado, precisa ir além deste artigo e estudar muito sobre o significado dessas quatro palavras: Saber – Ousar – Querer – Calar.

Pois bem!

O objetivo deste artigo é expressar um sentimento profundo que tomou conta do meu ser quando, no dia de ontem, 12 de outubro de 2017, 300º Aniversário de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, assisti um documentário histórico sobre a aparição da Santa, no interior paulista.

Dentre os vários fatos narrados, chamou-me a atenção a sensibilidade da restauradora que foi incumbida do trabalho de reconstruir a imagem, despedaçada em 1978, por conta da ação de um vândalo que a esfacelou em mais duzentos pedaços. A artista plástica Maria Helena Chartuni, cuja restauração durou mais de um mês, descreve de maneira emocionante, um despertar para a espiritualidade a partir desse trabalho minucioso.

Maria Helena Chartuni contou a experiência de restauração da imagem de Nossa Senhora em um livro. Na obra, ela destaca que a sua fé também foi restaurada com esse trabalho ímpar ao qual ela denominou “missão”.

Vendo isso, aumentou muito meu respeito e admiração pela Santa, bem como pelos milhões de brasileiros que depositam sua fé nessa representação da mãe de Jesus grávida.

Na reportagem, os motivos racionais do enegrecimento da imagem são citados e analisados. Obviamente, a ação da água e da fumaça escura das velas dos primeiros devotos podem até terem sido as causas fisiológicas dessa alteração de cor. Mas, na minha concepção espiritualista, vislumbro as Causas Primárias. Acredito piamente nos motivos sagrados por detrás das aparências.

Explico!

Note que no período da aparição, reinava um sistema demoníaco de exploração humana denominado “Escravidão”. Até mesmo os três pescadores que encontraram a imagem, seriam supostamente escravos. Então, é óbvio que todo esse simbolismo da cor da pele da Santa revela uma motivação Divina para despertar os homens acerca da aberração que reinava na época, a tal famigerada escravidão. Leia com atenção o enunciado abaixo, proveniente da sabedoria secular e tire suas próprias conclusões a respeito do que eu estou tentando te dizer aqui:

Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos e os meus pensamentos mais altos do que os seus pensamentos. Isaías 55:9

Veja bem, Aprendiz! A Sabedoria Universal tem caminhos que fogem totalmente à nossa compreensão. Nossa Senhora Aparecida apareceu negra num período em que a cor da pele determinava o destino entre liberdade e escravidão. Nada disso foi obra do acaso.

Gostaria de dizer que estou escrevendo este artigo para um fim diferente do usual. Não é uma análise que se encerra em si mesma, mas um ponto de partida para se pensar e meditar a respeito de nossa condição humana diante do Universo. Mais que isso… É para ponderar sobre os resquícios da escravidão que ainda pairam sobre nós sob a forma de preconceito, ganância e racismo. Isso aqui é mais para tentar ajudar a neutralizar os efeitos maléficos de uma herança cultural maldita que nos faz ver diferença entre filhos de um só Pai.

Finalizando, transcrevo um lampejo intuitivo que surgiu como parte de minha meditação, ao término do referido documentário:

Quem olha para o outro e coloca em evidência a cor da pele, o tipo de roupa, a opção sexual, o nível de conhecimento e a classe social, está anos luz atrás daquele que dá ênfase à centelha divina que brilha cintilante, em volta de todo homem e de toda mulher, trazidos à luz pela vontade do Espírito Cósmico Criador. Quem ainda não é capaz de enxergar a Unicidade do Divino, inserido no contexto da diversidade humana, alimenta a intolerância, o preconceito, a prepotência, a soberba, o egoísmo e o racismo, raízes sustentadoras de todas as mazelas que assolam este mundo.

Pense muito em tudo isso, Aprendiz

Ajude-nos a continuar disseminando gratuitamente ideias que edificam e inspiram. Faça a sua doação para o Projeto Academia do Aprendiz através do botão abaixo.

ESCREVA SEUS PRÓPRIOS DECRETOS DE PODER E NÓS OS TRANSFORMAREMOS EM ÁUDIOS PODEROSOS DE TRANSFORMAÇÃO PESSOAL. CLIQUE NA IMAGEM A SEGUIR E SAIBA TUDO.

 

 

 

LIVROS DO CRIADOR DA ACADEMIA DO APRENDIZ
Clique nas imagens para ler um trecho gratuitamente

Author: Francisco Ferreira, O Aprendiz

Francisco Ferreira, o Aprendiz, é terapeuta formado pelo Instituto Nefesh, Pós Graduado em Filosofia e Sociologia, com formação em PNL, Coaching, TFT, Cinesiologia Aplicada, EFT, Barômetro Emocional, dentre outros. Tem doze livros publicados, escreveu mais de quinhentos artigos de autoaperfeiçoamento e criou quinze métodos de desenvolvimento pessoal.

One Reply to “A Centelha Divina Está em Tudo e em Todos”

  1. Sou a Amanda Da Silva, gostei muito do seu artigo tem
    muito conteúdo de valor parabéns nota 10 gostei muito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.