A Escala do Sucesso

Clique no player para ouvir este conteúdo

Somos seres racionais. Diferenciamo-nos dos demais animais por conta dessa faculdade de raciocínio. No entanto, estudiosos afirmam que, de fato, um ser mediano consegue direcionar menos de meio por cento das circunstâncias que lhe ocorrem durante um dia. O resto é todo comandado por sentimentos inconscientes, ou melhor, emoções irracionais. Dois em uma escala de cem é muito pouco para nós, não acha?

O que nos difere do cachorro ou do gato, sob o ponto de vista da racionalidade, resume-se a essa porcentagem insignificante.

Mais de noventa e nove por cento das nossas emoções estão imersas no nível inconsciente e fazem parte de um aglomerado confuso de sentimentos internalizados desde a concepção. Grande parte disso tudo foi inserido por intervenções do meio circundante, ainda em nossa primeira infância. Isso significa que foram colocadas lá dentro à revelia, sem nosso consentimento, por nossos pais, cuidadores, amigos, professores e afins. Apesar de toda razão humana inserida nesse contexto, podemos denominá-las de irracionais porque não foram racionalizadas por nós mesmos.

Influências culturais, religiosas e morais nem sempre estão em consonância com aquilo que traz evolução, aperfeiçoamento e crescimento pessoal. Dessa forma, estando sob o domínio de quase cem por cento de sentimentos, emoções crenças e hábitos automatizados, certamente somos comandados por forças alheias à nossa vontade. Conclusão: sofrimento, medo, doença, insegurança e fracasso.

O fator preponderante para a fixação de um quadro mental no inconsciente é a emoção. Por conseguinte, sentimentos negativos sempre tiveram maior evidência por conta do impacto emocional que provocam. O resultado é uma discrepância estrondosa entre o bem e o mal acumulados em nossa essência imatura.

Os sentimentos negativos são emoções poderosíssimas implantadas no subconsciente de forma indelével. Infelizmente, pouca coisa boa e positiva permaneceu lá dentro, por conta da nossa cultura equivocada que prima pela ênfase no negativo.

Imagine você adquirindo um controle maior sobre as emoções internalizadas no nível mais profundo do seu ser. Quanto isso poderia ajudá-lo no sentido de criar circunstâncias mais favoráveis de agora em diante. Pense o quanto você poderia progredir a partir do momento em que praticar um autocontrole eficaz. As possibilidades são praticamente infinitas, levando-se em conta a diferença na escala entre os 0,5% e o ápice: 100%. Obviamente, o controle total é algo ainda utópico diante do nosso atual quadro evolutivo. Mas, uma ligeira alteração nessa porcentagem já significaria muita coisa.

Muito bem, diria você. Mas como mudar algo tão obscuro, oculto e enraizado dentro de mim? Eu diria como resposta apenas o seguinte: racionalizando as emoções. Calma! Vou explicar. Qualquer sentimento negativo, à exceção daqueles relacionados à preservação da vida, podem e devem ser superados um a um mediante uma análise sensata e ponderada. Digamos que você tenha medo de fracassar na vida. Então, note que, sob o ponto de vista racional, não existe vitória sem fracasso. Todas as pessoas de sucesso experimentaram inúmeras derrotas. Aliás, sob uma visão mais ampla, o fracasso não existe, já que toda perda é, na verdade, um ganho pois traz em si uma aprendizagem intrínseca, essencial para a obtenção de êxitos futuros.

A única diferença entre o perdedor e o vencedor está na atitude. O primeiro encara a derrota como uma vilã, o segundo a vê como uma forte aliada. Simples assim.

O segredo básico para transmutar aspectos negativos em positivos está na mudança de foco. É necessário obter uma visão macro, livre das deturpações provocadas pelas emoções irracionais.

Pense grande de maneira sistemática, diuturnamente. Acredite em si mesmo como sendo capaz de superar e vencer. Só assim você será capaz de subjugar o pequeno eu, erigido sob o domínio do medo, da culpa, do ódio e de outros fatores negativos advindos do inconsciente.

A mudança que você quer e precisa é uma tarefa árdua, considerando-se uma escala de porcentagem  onde o negativismo é tão esmagadoramente superior. Mas saiba que, dando um passo de cada vez, mediante a alteração de pequenas ações e atitudes cotidianas na direção do positivo, imediatamente pequenos resultados começarão a aparecer. Em pouco tempo de prática persistente no sentido de polir sua essência, formar-se-á um ciclo virtuoso que o estimulará a permanecer agindo assim, cada vez mais otimista e entusiasmado.

Menos de meio por cento de autocontrole é muito pouco. Cem por cento é pura utopia. Mas imagine o quanto você pode melhorar, simplesmente ao atingir a porcentagem de um dígito nessa escala. E quando, mediante uma evolução dirigida, chegar a dois, três, cinco por cento…

As possibilidades de mudança, superação e sucesso são amplas porque as portas estão abertas à sua frente. Basta dar o primeiro passo no sentido de dominar-se a si mesmo. Fazendo disso um hábito, a transformação positiva que você quer e precisa acontecerá em breve.

Ajude-nos a continuar disseminando gratuitamente ideias que edificam e inspiram. Faça a sua doação para o Projeto Academia do Aprendiz através do botão abaixo.

ESCREVA SEUS PRÓPRIOS DECRETOS DE PODER E NÓS OS TRANSFORMAREMOS EM ÁUDIOS PODEROSOS DE TRANSFORMAÇÃO PESSOAL. CLIQUE NA IMAGEM A SEGUIR E SAIBA TUDO.

 

 

 

LIVROS DO CRIADOR DA ACADEMIA DO APRENDIZ
Clique nas imagens para ler um trecho gratuitamente

Author: Francisco Ferreira, O Aprendiz

Francisco Ferreira, o Aprendiz, é terapeuta formado pelo Instituto Nefesh, Pós Graduado em Filosofia e Sociologia, com formação em PNL, Coaching, TFT, Cinesiologia Aplicada, EFT, Barômetro Emocional, dentre outros. Tem doze livros publicados, escreveu mais de quinhentos artigos de autoaperfeiçoamento e criou quinze métodos de desenvolvimento pessoal.

One Reply to “A Escala do Sucesso”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.