Academia do Aprendiz

Há Doze Anos Desenvolvendo Habilidades de Alta Performance

Áreas do Site

Categoria: Autoajuda

Nós criamos sentindo, e não pensando

É isso mesmo, nós obtemos as coisas pela forma como sentimos, e não tentando encaixar tudo no lugar ou cotrolando as nossas mentes.
Todos os acidentes de aviação, todas as promoções no emprego, os bons ou péssimos amantes, as contas bancárias, sejam avultadas ou escassas, vêm até nós pela mais elementar das leis da física: os semelhantes atraem-se.
E uma vez que a maioria de nós não sente grande entusiasmo com a forma que viveu durante boa parte da sua vida, tornamo-nos mestres extremamente hábeis na arte de atrair uma superabundância de circunstancias que preferíamos não ter.
Quer um carro novo? Aí está!
Quer ser bem sucedido trabalhando por conta própria? Aí está!
Quer fechar aquele negocio? Ganhar mais Continue lendo...

O poder destrutivo da ansiedade

Preocupar-se, que mecanismo é esse? Que sintomas são despertados a partir da pré-ocupação de nossa mente e coração com coisas e pessoas que nunca foram e não sabemos ao certo se serão? É bom lembrar que, para o bem e para o mal, o cérebro não distingue a realidade do que não é real. Assim, o ansioso provoca em seu corpo as reações que teria de fato diante da situação verdadeira, mesmo que a “tragédia” ocorra apenas na sua imaginação. A partir de um fato hipotético, muitos sintomas desagradáveis podem ser disparados pela ansiedade.
O processo fisiológico que provoca o estado de ansiedade é semelhante ao que é acionado quando sentimos medo: hormônios estimulantes são liberados na corrente sangüínea, fazendo o coração bater Continue lendo...

Três passos para eliminar seus temores

1. Decida ser uma pessoa de fé.
Para eliminar o medo, a primeira coisa a fazer é dizer com determinação:  “Não quero mais ser motivado pela ansiedade e pelo medo. Quero expulsar o medo e a ansiedade de minha mente e não ser mais dominado por eles. Decido agora – determino agora – que a minha ansiedade e o meu medo sejam controlados, até eliminados, e que eu me torne uma pessoa de fé”.
É claro que dizer essas coisas, mesmo com força, não fará com que elas se realizem. Mas serão realizadas quando você afirmá-las decididamente e resolver perseverar no seu desejo e propósito.
2. Enfoque um medo de cada vez.
Pegue uma folha de papel e faça uma lista de todas as coisas que teme. Essa lista deve ser o Continue lendo...

Como usar a visão interior

Para as pessoas comuns não é fácil dirigir o movimento das coisas. Nelas, os pensamentos contrários de dúvida e temor surgem do subconsciente. São os “exército dos inimigos”, que devem ser postos em fuga. Isso explica porque é que, geralmente, a “escuridão é maior antes do alvorecer.”
Uma grande demonstração geralmente é precedida de pensamentos atormentadores.
Ao fazerdes a afirmação de uma alta verdade espiritual, desafiais as antigas crenças do subconsciente e o “erro aparece” para ser expulso. É nessas ocasiões que deveis fazer repetidamente vossas afirmações, regozijando-vos e dando graças como se já tivésseis recebido, pois como disse o Altíssimo: “Antes que me chamem, lhes responderei.”
Isso quer dizer Continue lendo...

Idealizando o Futuro

Ao praticar a idealização e a orientação para o futuro, você não compromete seus sonhos e visões para si mesmo e para seu futuro. Não aceita metas mais humildes ou sucessos incompletos. Pelo contrário, “sonha alto” e se projeta mentalmente para a frente, como se fosse uma das pessoas mais poderosas do universo. Você cria o seu futuro prefeito. Decide o que realmente quer antes de voltar para o momento presente e lidar com o que é possível em sua atual situação.

Comece por seu negócio e sua carreira. Imagine que sua vida profissional fosse perfeita dentro de cinco anos. Responda às seguintes perguntas:

1. Como seria ela?

2. O que você estaria fazendo?

3. Onde estaria?

4. Com quem estaria trabalhando? Que nível de responsabilidade teria?

5. Continue lendo...

Meditação e estresse

Quando estive na índia, em 1971, conheci muitos iogues hindus, lamas tibetanos e monges budistas. Fiquei espantado com a cordialidade descontraída, o desapego e a vivacidade desses homens e mulheres nas mais diferentes situações. Eu gostava especialmente de estar com cada um deles e me sentia reabastecido quando os deixava.
Havia grandes diferenças entre as crenças e as formações deles. A única coisa que tinham em comum era a meditação. Depois, conheci S. N. Goenka, um professor que não era monge, mas um industrial que havia sido um dos homens mais ricos de Burma. Embora fosse um homem bem-sucedido, Goenka descobriu que o seu ritmo agitado pagava um preço alto sob a forma de uma enxaqueca diária. Tratamentos em clínicas européias e americanas Continue lendo...

Mente sã corpo são II

RENOVANDO A MENTE PELOS ELEMENTOS DO AKASHA. 

Espero em Deus que sua pessoa tenha se sentido melhor depois do jejum de éter cadavérico. Segundo Pappus, o adepto sente melhoras muitas após este jejum. A pele adquire um tônus mais vivo e cor rosada; o indivíduo sente melhoras no quadro geral do organismo e, também, na sua estrutura perispiritual, ou o velho corpo astral dos livros de Ciência Oculta. Estas melhoras no corpo astral ecoam no corpo físico, e na máquina psíquica da pessoa. A autoestima é outra, o desejo de viver é outro e as formas pensamento tendem a serem positivas (forma pensamento negativa é prejudicial a pessoa em todos os sete sentidos da vida). Em alguns casos, elas somem por completo cedendo lugar a uma nova vibração mental que pode garantir Continue lendo...

Ninguém toma dor de ninguém

Quem nunca pensou ou já fez isso? Se é que é possível, resolve alguma coisa? Será que tomarmos as dores do outro é algo que trará algum benefício ao outro?

Muitas vezes queremos tomar as dores do outro, viver os aprendizados do outro e não dá pra fazer isso. O problema do outro é do outro, a dor do outro é do outro. Somente cabe ao outro viver aquilo que é ele pode e deve viver. Cabe somente ao outro aprender o que ele precisa aprender, vivendo o seu próprio aprendizado. Quando tiramos um peso de um lugar é inevitável que alguém irá carregar um peso a mais. Por mais que seja muito bonito, acabamos atrapalhando, impedindo o outro de crescer, de evoluir. O máximo que podemos fazer é ajudar, orientar quando formos solicitamos. Do mais, cabe a nós apenas observar. E observar talvez seja a tarefa mais difícil, porque nós vemos muitas vezes aonde o outro está errando, mas nós podemos aprender muito também observando, deixando o outro aprender a andar com as suas próprias pernas. Talvez o nosso aprendizado seja o de observar, do que podemos aprender observando o outro. Ninguém toma dor de ninguém. Cada um é responsável pela sua própria vida e cabe somente a cada um de nós buscar a solução das nossas dores. O aprendizado é único, intransferível e de total responsabilidade de quem o está vivendo. Bom ou não, nós atraímos aquilo que precisamos aprender. Trazemos em nós as lições que precisamos aprender estando nessa vida, trazemos os ensinamentos que precisamos compartilhar com os outros. E um dos aprendizados mais importantes talvez seja o livre arbítrio, de não tentar interferir na vida do outro, de respeitar as escolhas do outro, sendo boas escolhas ou não, de trabalhar o desapego, de trabalhar um amor maior em nós. E o mais importante é de entender que cada um colhe o que planta, que por mais que seja difícil nós vermos o outro em um estado difícil, nunca iremos conseguir tomar as dores, resolver as suas dores. A constelação nos mostra muito isso, de como é importante respeitar as escolhas do outro, de cada um saber se colocar no seu devido lugar, porque muitas vezes queremos ocupar lugares que não são nossos. Deixo uma reflexão pra vocês: Qual lugar você está ocupando na sua vida? O seu peso, a sua dor será que é realmente sua? Quantos pesos você está carregando que não são seus? Será que não é hora de soltar, de se libertar de algo que não é seu e que não cabe a você resolver isso?

O jumento morre de cansaço

Nasrudin resolveu procurar novas técnicas de meditação. Selou seu jumento, foi a Índia, a China, a Mongólia, conversou com todos os grandes mestres, mas nada conseguiu.

Escutou falar que havia um sábio no Nepal: viajou até lá, mas quando subia a montanha para encontrá-lo, seu jumento morreu de cansaço. Nasrudin enterrou-o ali mesmo, e chorou de tristeza. Alguém passou, e comentou:

– Você buscava um santo, e este deve ser seu túmulo. Na certa, está lamentando sua morte.

– Não, é o lugar onde enterrei meu jumento, que morreu de cansaço.

– Não acredito – disse o recém-chegado. – Ninguém chora por um jumento morto. Isso deve ser um lugar onde os milagres acontecem, e você quer guardá-lo só para si mesmo.

Por mais que Continue lendo...

Praticando o Desapego

O desapego é a prática do discernimento. Aos poucos vamos ganhando controle sobre as ondas de pensamento “dolorosas” ou impuras, perguntando-nos: “Por que é mesmo que eu desejo este objeto? Que benefício duradouro obterei com possuí-lo? De que maneira sua posse me ajudará a conquistar maior conhecimento e liberdade?” As respostas a tais perguntas são sempre embaraçosas: fazem-nos ver que o objeto desejado não só é inútil como instrumento de libertação, mas é potencialmente prejudicial enquanto instrumento propício à ignorância e à sujeição; e mais, que o nosso desejo não é na verdade desejo pelo objeto em si absolutamente, mas apenas desejo de almejar alguma coisa, uma mera agitação da mente.
É muito fácil Continue lendo...

O sentimento é o segredo

A partir do momento que você nasce, você sempre está sentindo algo, assim como todas as outras pessoas. Você pode parar seus pensamentos conscientes quando está dormindo, mas nunca pode parar de sentir, pois estar vivo é sentir a vida. Você é um “ser” de sentimento até seu âmago, então não é por acaso que todas as partes do corpo humano são criadas de maneira que você possa sentir a vida!
Você tem o sentido da visão, da audição, do paladar, do olfato e do tato, então você pode sentir tudo na vida. Eles são os sentidos “do sentimento”, pois eles lhe capacitam a sentir o que você vê, sentir o que você ouve, sentir o que você saboreia, sentir o que você cheira e toca. Todo seu corpo é coberto com uma fina cama de pele, que Continue lendo...

Aprendendo a ser um bom profissional

A maneira como agimos no trabalho tem um efeito sobre nossos colegas. Precisamos de padrões — e temos de ser fiéis a eles, é claro. Temos de ser éticos, decentes, honestos e dignos de confiança. Mas vou lhe dar mais algumas dicas que o ajudarão a ser fantasticamente bem-sucedido.

• Considere seu trabalho importante e o execute da melhor maneira que puder. Não fique estagnado, mas aprenda o tempo todo, mantenha-se bem-informado sobre sua indústria e novas descobertas. Faça hora extra quando precisar, mas não mostre que trabalha demais — uma atitude mais tranqüila lhe garante mais respeito.
• Fique sempre atento a formas de melhorar a situação de todos e não somente a sua. Pense como’ nós” em vez de “eu”. Você Continue lendo...

Academia do Aprendiz © 2014-2017