Academia do Aprendiz

Há Doze Anos Desenvolvendo Habilidades de Alta Performance

Áreas do Site

Categoria: Relacionamentos

Amigos tóxicos

Nem todas as amizades são abaladas por causa de um acontecimento ou um desentendimento específico. Algumas vezes o problema nos afeta sem que possamos perceber. Um amigo tóxico é alguém que desperta o que há de pior em nós ou que nos exaure mental ou fisicamente.

A carta de Emma:

Eu e Jô nos conhecemos há 20 anos e temos um relacionamento competitivo. Se eu desejo me encontrar com ela, o planejamento é tão complicado (porque ela está sempre tão terrivelmente ocupada…) que acabo me sentindo desesperada e carente. Quando, afinal, nos encontramos, a noite é sempre divertida e adoro todas as histórias que compartilhamos. Mas depois Jô se recolhe outra vez, não retorna os meus telefonemas e não cumpre as promessas feitas quando saímos. Ela Continue lendo...

Como superar dificuldades de convivência no casamento

Durante o período de namoro, nem sempre convivemos diariamente com a pessoa que será nosso cônjuge. E também, como moramos na casa de nossos pais, seguimos as regras deles.

Já, quando se casa a pessoa tem seu espaço próprio e começa a criar seus próprios costumes. É nessa hora que podem surgir as diferenças entre o casal, pois cada um tem seus gostos e hábitos.

Por exemplo:

– Um come sentado no sofá em frente à TV; o outro só faz as refeições à mesa.

– Um gosta de dormir com a TV ligada; o outro necessita de escuridão e silêncio absoluto.

– Um prefere acordar cedo no fim de semana; o outro gosta de dormir até tarde.

– Um é bagunceiro; o outro é organizado.

São algumas coisas que apenas com a convivência vão aparecer.

Algumas Continue lendo...

Técnicas de Negociação Para Compradores

Como Vendedores e Compradores Devem Negociar? O Que é Uma Negociação Ganha/Ganha? E a Lei de Gerson?

Conforme alguns especialistas, uma negociação é o processo de conseguir do outro aquilo que se deseja, através de determinado um acordo. Dessa forma, pode-se dizer que negociação é um processo de troca em que as partes determinam o mínimo e o máximo aceitáveis.

No mundo globalizado, onde o Associativismo está em alta, pode-se observar que muitas organizações vêm se fundindo ou associando-se a outras do mesmo ramo de negócios ou até de segmentos de mercados diferentes. Nesse contexto a negociação vem ocupando papel de destaque, uma vez que á através dela que se chega a um acordo entre as partes envolvidas.

É claro que não existem fórmulas ideais para uma negociação eficaz e, até pouco tempo atrás, muitas empresas ainda praticavam a matriz de resultados GANHA/PERDE – mais conhecida como a “Lei de Gerson”; ou seja, apenas uma das partes saia vitoriosa na negociação.

Porém, atualmente muitos estudiosos acreditam que vivenciamos a era do GANHA/GANHA, onde ambos acabam saindo vencedores – vendedores e compradores.

A importância da gentileza no dia a dia

Um ditado popular diz que gentileza gera gentileza. Quando se é gentil com os outros ajudamos a tornar o ambiente melhor. Ser gentil é ser amável, agradável e elegante. Uma pessoa gentil demonstra cortesia, é educada e atenciosa. Muitas vezes é considerada nobre e cavalheira. Por tudo isso é uma pessoa encantadora.

Luiz Gabriel Tiago disse que “a gentileza pode transformar uma vida, uma relação, um relacionamento profissional: basta praticar. A gentileza no ambiente de trabalho é o grande trunfo dos profissionais que estão prontos para fazer a diferença no mercado.”. Gandhi dizia que “a gentileza não diminui com o uso. Ela retorna multiplicada.”.

Gentileza é um gesto de cuidado com o outro, com a vida. Geralmente, a pessoa que é gentil com Continue lendo...

COISAS DA VIDA: TRATAR E CUIDAR DA MENTE

O ser humano – qualquer pessoa – é composto de três partes: corpo, mente e espírito. Todos sabem disso e até aqueles que não têm consciência firme sobre essa verdade, mesmo intuitivamente pressentem tal fato.

Então porque as pessoas cuidam tanto do corpo e de suas partes (cabelos, rosto, mãos, pés, pele, braços, pernas, nariz, boca, dentes, etc.) e não dão a mínima atenção às duas outras partes (mental e espiritual) que são muito mais importantes que a corporal.

A identidade pessoal é caracterizada pelos atributos mentais e espirituais de cada um de nós. Assim, somos reconhecidos pelos outros conforme nos comportamos diariamente na família, no trabalho e na sociedade.

Cada um de nós se destaca dos outros pela capacidade própria de evolução mental e/ou espiritual.

Obstáculos à comunicação perfeita

A timidez

A timidez, com certeza, é o grande obstáculo para a realização dos nossos anseios, dos nossos sonhos.

Ela incomoda; é uma espécie de tortura constante, porque o tímido se sente diferente dos outros, acredita que o mundo é dos extrovertidos e que só estes têm direito à felicidade e às grandes realizações.

O drama do tímido é muito simples: ele quer agradar mas tem medo de não conseguir. Por isso não tenta.

Freud já dizia que “Nós poderíamos ser muito melhores se não quiséssemos ser tão bons”

Essa preocupação demasiada com a opinião alheia faz com que o tímido acabe escondendo suas qualidades.

Por isso ele não deve questionar “o que vão pensar de mim?” ou “e se ela não gostar de mim?”… Deve, isto sim, agir na Continue lendo...

Atitudes Demonstradas Numa Dinâmica de Grupo

Que é Um Grupo? Para Que Servem as Dinâmicas de Grupo? Como se Comportar Em Uma Dinâmica de Grupo?

Podemos definir “grupo” como um conjunto de pessoas que estão reunidas em torno de algum objetivo comum e, “dinâmica”, como sendo um movimento desse grupo em direção ao seu objetivo específico.

Dessa forma, pode-se afirmar que uma dinâmica de grupo é a reunião de pessoas organizada por uma empresa com um objetivo específico: _ conquistar uma vaga de emprego.

Isso ocorre porque as empresas hoje contratam funcionários muito mais pelo seu comportamento do que pelas suas habilidades técnicas. Por isso, as dinâmicas de grupo servem principalmente para que os selecionadores avaliem as habilidades humanas dos pretendentes.

Ou seja, como eles se relacionarão com os demais funcionários, Continue lendo...

Permissões

Em alguns momentos da nossa vida reclamamos de determinadas situações imputando a outras pessoas uma suposta culpa por fatos ntecimentos que estamos vivenciando. Neste momento, em geral, vem a sensação de raiva, de destravar a língua impensadamente, muitas vezes falando coisas ofensivas, ou seja, passamos a ter uma série de sentimentos ruins e prejudiciais única e exclusivamente a nós mesmos.E na maioria das vezes não paramos para refletir os porquês. Então, cabe uma pergunta e, porque não dizer, uma análise mais profunda: Será que estes sentimentos não são frutos das nossas permissões?

Nada acontece em nossa vida sem que permitamos. Se nossos filhos não nos respeitam, por exemplo, em algum momento perdemos a rédea da situação. Se dizemos que as pessoas não nos respeitam, Continue lendo...

12 Atitudes Fatais Que Afugentam Clientes

Por Ernesto Berg

Custa cinco vezes mais caro conseguir um novo cliente do que manter um que já se tem. Tom Peters

 

É difícil sabermos quais são todas as ocorrências que podem irritar o cliente. Entretanto é possível descobrirmos as principais, especialmente porque são as mesmas atitudes que nos irritariam se estivéssemos na pele de um comprador ou do público em geral.

Considere-se, portanto, um cliente e que você está do outro lado do balcão. Pense agora no que NÃO gostaria que acontecesse com você. Veja a lista dos principais pecados fatais praticados por atendentes despreparados.

 

  1. Má vontade: “Estou na minha.” Desinteresse em atender, displicência e ausência de comprometimento do atendente são atitudes que ficam muito claras para o cliente e, quando ele percebe isso, o interesse dele também murcha e você perde credibilidade.
  1. “Não sei, estou por fora”. O despreparo do pessoal de atendimento sobre as condições ou características de seus produtos e serviços é uma das coisas que mais aborrece o cliente. Se não souber a resposta é só dizer: “Não sei, mas vou descobrir e logo lhe trago a informação.”
  1. “Estou pouco me lixando por você.” É o cliente que se vê obrigado a aguardar até que o atendente termine sua conversa com um colega, ou encerre seu falatório no telefone, ou termine de mexer no seu computador. O que ele está dizendo (não por palavras), é: “Você está me atrapalhando, não quero ser perturbado, pois esse assunto é mais importante. Espere até eu terminar.”
  1. “Sinto muito, são regras da casa.” É claro que existem regras da empresa, mas você poderia dizer: “Vou procurar saber se tem algo que eu possa fazer a respeito e resolvermos esse problema.” Não é bem melhor assim?
  1. Frieza, indiferença. São as atitudes distantes e afastadas. O cliente tem a impressão de que está falando com uma geladeira, em vez de uma pessoa de carne e osso. O contato visual e gestos simpáticos são fundamentais para estabelecer uma relação de confiança com a clientela.
  1. Nariz empinado. É o ar de superioridade que o atendente demonstra em relação ao cliente, achando-se o verdadeiro “rei da cocada preta”.
  1. “Eu estou com a razão.” A pior cilada em que você pode cair é discutir com o cliente. O cliente nem sempre tem razão, mas nem por isso precisa impor-se e dizer que ele está errado. Dê-lhe o benefício da dúvida, ou seja simpático com ele, dizendo que isso pode ocorrer com qualquer pessoa. Uma coisa é certa: ao discutir com um cliente você SEMPRE sairá perdendo, porque ele poderá sentir-se ofendido, aborrecido e até mesmo revoltado com a discussão e, desse momento em diante, em vez de cliente terá um oponente hostil com o qual não fará mais negócio, e ainda espalhará sua insatisfação com os amigos.
  1. O sabe-tudo. Antes mesmo de o cliente terminar de falar, ou explicar o que quer, o sabe-tudo interfere e começa a dar respostas para perguntas que não foram feitas obrigando o cliente a ouvir soluções que não lhe interessam. Este tipo de profissional faz do conhecimento técnico uma arma e gosta de ostentar capacidade querendo mostrar que entende do assunto, às vezes, até, inibindo o cliente.
  1. O mal-humorado. Não sorri, tem uma cara de poucos amigos e dá a impressão que ele tem uma placa invisível pendurada no pescoço dizendo “Não me perturbe, hoje não é o meu dia”.
  1. O empurrador. Esse indivíduo cerca o cliente e tenta empurrar-lhe todos os tipos de serviços ou produtos de que dispõe. Trabalha sufocando o cliente, não lhe dando tempo para raciocinar ou de ter a liberdade para fazer suas escolhas sem sentir-se pressionado.
  1. O autômato. Ele decorou seu texto é só sabe repetir as mesmas frases e usar os mesmos argumentos, pessoalmente ou por telefone. Se o cliente faz uma pergunta fora do “script” o autômato fica sem saber o que dizer.
  1. O “chicleteiro”. Adora mastigar um chiclete enquanto atende. Além de demonstrar falta de educação, a mensagem que o “chicleteiro”(a) está passando para o cliente é: “Meu chiclete me dá mais satisfação do que atender a você, porque ele me agrada e me distrai enquanto tenho que aguentá-lo”.

Lembre-se: você nunca será tão importante para o cliente, quanto o cliente é para você.

Texto extraído e condensado do livro Continue lendo...

Casamento: Inimigos Íntimos

Os homens são mais “polianescos” em  relação ao estado de seu casamento, ao passo que as mulheres ficam mais ligadas em questões problemáticas

A porcentagem anual de  divórcios mais ou menos estabilizou-se. Mas há outro modo de calculá-la, um modo que aponta para uma perigosa ascensão desse percentual: basta constatar a probabilidade de pessoas recém- casadas eventualmente se divorciarem. Embora a taxa real tenha parado de crescer, o risco de os casais recentes se divorciarem tem aumentado.

Essa tendência fica mais evidenciada se compararmos, ano a ano, o percentual de divórcios. Nos Estados Unidos, daqueles que se casaram em 1890, cerca de 10% se divorciaram. Para os casados em 1920, a taxa foi de cerca de 18%; para os casados em 1950, 30%. Continue lendo...

Academia do Aprendiz © 2014-2017